Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Jornal Badaladas na edição de 19 de dezembro dá notícia da Tomada de Posse dos Orgãos Sociais da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

miser.jpg

Teve lugar no passado domingo, dia 14, a cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras para o triénio 2015/2017.


A tomada de posse realizou-se na igreja da Misericórdia, onde Vasco Fernandes foi reconduzido no cargo de provedor ã frente de uma equipa que se caracteriza pela experiência e pela novidade. Ao todo, são 18 os elementos que compõem os órgãos sociais da Santa Casa e cerca de metade são novos, a maioria na mesa administrativa.


A lista eleita em novembro ficou assim constituída: assembleia geral - Luís António C. Lopes Rodrigues (presidente), António Ferreira Nunes e Jacinto Franco Leandro. Mesa administrativa - Vasco Fernandes (provedor), José Elias Esteves, João Isidro Rodrigues Martins, António Martins Bento, Paulo Jorge da Silva Inácio Gomes, João António Flores Nunes da Cunha, Vítor Manuel Domingos Rodrigues, Judite Maria Roque Silva Duarte, Margarida Maria Antunes Ferreira Rosado, Rui Afonso Sousa Nunes Castelo. Conselho fiscal - Celestino Romualdo Duarte (presidente), Vasco Luís C. Lopes Rodrigues, João Manuel Simões Dias Perdigão, João Manuel Mendes de Oliveira, Guilherme Augusto Alves Ferreira.


Durante a sua intervenção, Vasco Fernandes afirmou que pretende dar continuidade às diversas atividades da instituição, prosseguindo a sua missão ao serviço da comunidade torriense. Deixou palavras de apreço a todos os 120 funcionários da casa, que considera "o rosto da Santa Casa", ao núcleo de voluntários e a todos os irmãos que deixaram os órgãos sociais, dos quais faziam parte há mais de 20 anos. Uma palavra especial dirigida a Manuel Rosado, o elemento mais antigo e que saiu após 40 anos ao serviço da Santa Casa.


O provedor fez também alusão aos novos projetos que irão ser desenvolvidos pela instituição durante o próximo mandado, nomeadamente a conclusão da construção do centro de acolhimento temporário de crianças em risco, que já tem protocolo aprovado com a Segurança Social.


A obra foi iniciada há 17 anos pela entretanto extinta Associação Não à Indiferença e é agora a Santa Casa que dará continuidade ao projeto, com capacidade para 20 crianças, cinco das quais em berçário, dos zero aos 12 anos.


A Santa Casa irá também apresentar uma candidatura no âmbito do novo Quadro Comunitário de Apoio para um projeto na área dos cuidados continuados em fusão com o lar e que está na gaveta há sete anos, por falta de financiamento.


Sobre a eventual devolução da gestão do Centro Hospital de Torres Vedras por parte do Estado à Misericórdia, Vasco Fernandes considera que "o de Torres não deverá constar na lista dos hospitais a negociar para o ano. Provavelmente só em 2017 ou 2018 é que seremos chamados a negociar", afirmou.


Vasco Fernandes considera que "no caso dos hospitais já negociados as misericórdias não ficaram prejudicadas", mas deixou antever que as negociações em Torres Vedras não serão fáceis. Um dos critérios definidos pelo Estado para a eventual devolução, para além de um entendimento mútuo, passa por uma condição financeira essencial: tem de haver uma redução de encargos para o Estado de pelo menos 25 por cento face àquilo que são os custos atuais. "Tenho dúvidas se isso será possível, serão precisos muitos estudos antes de tomarmos essa responsabilidade" concluiu o provedor.


A tomada de posse foi antecedida pela celebração da Eucaristia do terceiro domingo do Advendo, presidida pelo padre Vítor Melícias e concelebrada pelo padre José Manuel e pelo diácono Domingos Landim, terminando com um concerto de órgão e um Porto d'honra.

 

Jornal Badaladas, edição de 19 de dezembro de 2014

Escrito por Eunice Francisco

 

GNR resgata idoso da morte

Quirino Silva ainda hoje não sabe com que forças se levantou para pedir ajuda ao fim de 17 dias sem comer nem beber. Sozinho neste mundo, o idoso de 70 anos vivia num casebre em ruínas, em Runa, isolado, rodeado de mato, e sem meios para subsistir, a passar fome, sede e frio.

 

Aos 68 anos ficou sem o trabalho como caseiro numa quinta, onde esteve durante mais de três décadas. Depois disso deixou-se mergulhar numa profunda tristeza, com os documentos caducados há anos, até já não lhe restar nada do pouco que tinha amealhado ao longo da vida.

 

Ao fim de dois anos a viver em condições sub-humanas, sem água, luz ou saneamento básico, rodeado apenas de mato e lixo, Quirino desistiu. Entregou-se de corpo e alma e deixou-se ali ficar no casebre, parado no tempo, parado em si próprio, à espera não sabe bem do quê.

 

Mas ao 17º dia sem comer nem beber, Quirino Silva levantou-se, agarrou-se a uma ripa de madeira e avançou em direção à povoação, arrastando o corpo magro, sujo e desnutrido pela serra acima, valendo-se de uma última réstia de forças.

 

Foi um esforço demasiado grande para ele e quando lá chegou desmaiou de fome e cansaço. Ainda hoje não sabe como foi que conseguiu, nem o que o fez regressar à tona. A partir daí passou a receber a ajuda de um vizinho, que lhe dava comida.

 

Ainda assim a vergonha continuava a consumi-lo. Não se permitia pedir ajuda, nem sequer admitir que necessitava dela. Sempre que alguém na localidade lhe oferecia comida respondia, ainda que cheio de fome, que “não obrigado, já comi”. Era a voz da vergonha que sempre deixou falar por ele, mesmo quando já era só pele e osso.

 

A sua situação chocou os elementos da equipa de Programas Especiais da GNR, que o foram encontrar a viver no meio do mato. “Já vimos muitos casos, mas nenhum nestas condições”, dizem os guardas que o resgataram de uma vida de miséria e de uma morte certa no meio do nada.

 

A GNR sinalizou de imediato o caso e, em colaboração com o serviço social da Casa do Povo de Runa, conseguiram uma vaga para Quirino Santos no Lar da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, onde vive há cerca de um mês.

 

Os olhos enchem-se de lágrimas de cada vez que os guardas o visitam e já o foram ver duas vezes. “São meus amigos. Tiraram-me de lá e isso nunca lhes vou conseguir pagar. Choro de alegria”.

 

Quirino chora e os guardas sorriem, porque não há maior recompensa do que saber que se salvou uma vida.

 

Fonte: Jornal Badaladas Edição ON-Line


O Jornal Badaladas, na sua edição de 2 de Agosto, escreve sobre o Aniversário da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

 

Misericórdia festejou 493 anos

 

A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras comemorou no passado dia 26 de julho os seus 493 anos. Nesse dia, realizou nas suas instalações na Urbanização Casal Cartuxa, no Sarge, um almoço alusivo à efeméride.

 

Mais tarde, na igreja da Misericórdia, na cidade de Torres Vedras, foi celebrada missa pelo padre Joaquim Pedro acompanhada pelo órgão de tubos tocado por Daniel Oliveira. O pároco felicitou os membros da direcão da Santa Casa e desejou que os mesmos tenham coragem para continuar o percurso já iniciado há tantos anos.


Aquele dia festivo terminou com o hino da Santa Casa da Misericórdia cantado pelo grupo coral de crianças do pré-escolar pertencente àquela instituição.

 

Fonte: Jornal Badaladas


Roubo e vandalismo em edifício da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

Na madrugada de 23 para 24 deste mês foi assaltado e vandalizado no Sarge um edifício que pertence à Santa Casa da Misericórida de Torres Vedras e que estava a ser recuperado há cerca de dois anos.  O alvo dos criminosos parece ter sido os metais não preciosos, tendo levado todo o cobre, torneiras e cabos que existiam no edifício, acabando por destruir quadros elétricos e todo o material agregado.


Vasco Fernandes, provedor da Santa Casa, refere em comunicado que foi com grande consternação que os elementos da instituição descobriram na manhã do dia 24 “a perda de meses de trabalho e de valores que tanto custaram a angariar”.


Um prejuízo ainda por contabilizar, mas que atinge todos os que recorrem à instituição solicitando apoio e uma ajuda alimentar. “Lamentamos, possivelmente deixa a sopa mais pobre, porque alguém sem dinheiro para a ‘sopa’ esventrou um edifício, levando atrás de si não só o cobre, mas também uma parte do todo que é a Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras”, refere em comunicado o provedor.


Aquele responsável lamenta a invasão da propriedade, a perda de bens próprios e o facto de haver quem viva não só do roubo, mas do negócio desse mesmo ato. “Sabemos que este tipo de furto não é por fome, mas sim por vícios como a droga. E quem fomenta este ato dando-lhe cobertura na compra do material é pobre de moral, mas rico economicamente. Se estes barões do negócio sujo não existissem, instituições como a nossa não sofriam o prejuízo que hoje temos de contabilizar”.
 

Escrito por Eunice Francisco

Jornal Badaladas, publicado em 30-05-2013

O Jornal Badaladas, na sua edição de 1 de Fevereiro, escreve sobre a Misericórdia de Torres Vedras

 

Misericórdia de Torres Vedras em atividade

No passado mês de dezembro a Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras promoveu as seguintes iniciativas: confraternização de Natal da “Família Misericórdia” (órgãos sociais, funcionários, prestadores de serviços e voluntários); festa de Natal da creche e pré-escolar; parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa; distribuição de cabazes de Natal; festa de Natal dos idosos.


A mesa administrativa promoveu no dia 12 o jantar de Natal de todos aqueles que com o seu esforço formam o corpo dessa instituição. Funcionários, prestadores de serviços, voluntários e corpos sociais são no seu conjunto uma "grande e unida família" que faz da sua vida uma dádiva em prol do outro.


No dia 15 aconteceu a festa dos mais pequenos, as respostas sociais de creche e pré--escolar estiveram presentes no salão de festas dos bombeiros para assistir a um espetáculo de pais e educadores em conjunto com os funcionários da instituição, numa demonstração de "disponibilidade e amor" para com os seus filhos.


Entretanto, a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) efetuou no fim-de-semana de 15 e 16 um peditório a favor daqueles que, infelizmente, atravessam graves situações económicas no momento. A Santa Casa da Misericórdia e a delegação de Torres Vedras da CVP uniram-se na quadra natalícia, revertendo o peditório para a instituição, que o distribuiu depois nos cabazes de Natal e nas dádivas mensais que faz às famílias que a ela recorrem pedindo ajuda.


No dia 19, data da distribuição de cabazes de Natal pelas famílias necessitadas do concelho, como vem sendo hábito, os 300 cabazes com os produtos elementares para a consoada (bacalhau, frango, azeite e outros bens alimentares) foram distribuídos nas instalações próprias e pelas juntas de freguesia do concelho, para que aqueles que vivem mais distantes fossem de igual forma contemplados com esses bens de primeira necessidade.

 

No dia 20 viveu-se mais uma festa, os idosos confraternizaram num almoco-convívio seguindo-se uma tarde animada com cantares por um grupo de voluntários, atuação dos mais novos da instituição (creche e pré--escolar), entre outros, onde se procurou dar alegria, amor e um riso de esperança àqueles que os anos da vida deu rugas de sabedoria.


No decurso das realizações do mês na instituição inseriram-se ainda a cantina social, que serve 80 refeições diárias, e o banco alimentar contra a fome, parceria que proporciona mensalmente uma ajuda alimentar a muitas famílias do concelho que, por circunstâncias da atual conjuntura, viram-se privadas dos seus meios naturais de sobrevivência.


A todos a Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras agradece.

 

VASCO FERNANDES
[ Provedor]

O Jornal Badaladas, na sua edição de 28 de Dezembro, escreve sobre o Jantar de Natal da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

 

 Santa Casa promoveu jantar de Natal 

 

A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras promoveu este ano mais um jantar de Natal, que se realizou na noite do passado dia 12 no restaurante Pátio do Faustino e no qual participaram, como habitualmente, a mesa administrativa, os funcionários e amigos da instituição.


No seu discurso, o provedor Vasco Fernandes (na foto) falou não só dos tempos difíceis da crise que se vive mas também do futuro de esperança que aí vem, nomeadamente ao anunciar para breve a inauguração das restauradas instalações do centro de dia na cidade, frente aos CTT. Aquele mesmo responsável, depois de agradecer o esforço de todos na obra social, apelou ao combate do desperdício e o seu empenho para que o novo centro de dia se “encha de gente” já no próximo ano. Por último, Vasco Fernandes desejou as Boas Festas e prometeu que os atuais postos de trabalho não correm riscos acrescidos. “A não ser que a crise se agrave ainda mais”, ressalvou.


Fonte: Jornal Badaladas

Diabetes em debate na Santa Casa da Misericórdia

 

Diabetes em debate na Santa Casa da Misericórdia

Com o objetivo de demonstrar as boas práticas no tratamento da doença, realiza-se no próximo dia 16 entre as 19 e as 21 horas no lar da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, no Sarge, um debate sobre o tema “A Diabetes no Oeste”.

 

O evento visa também sensibilizar a população para essa enfermidade silenciosa, que não dói mas mata e degrada a qualidade de vida das pessoas. Participam técnicos de saúde do Centro Hospitalar Oeste, USF Gama (Torres Vedras), USF Tornada (Caldas da Rainha), Instituto Retina de Lisboa, Faculdade de Medicina de Lisboa, Hospital Beatriz Ângelo (Loures), Santa Casa de Torres Vedras.

 

A iniciativa tem o apoio do jornal Badaladas.

 

Jornal Badaladas