Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

A doença de Alzheimer

 

A doença de Alzheimer, é uma doença neuro-degenerativa incurável, que provoca o declínio das funções intelectuais, reduz as capacidades de trabalho e relações sociais, interferindo no comportamento e personalidade. É a principal causa de demência e atinge 1% dos idosos com idades entre os 65 e 70 anos, mas a sua prevalência aumenta exponencialmente com o aumentar dos anos, verificando-se 6% de idosos com alzheimer aos 70 anos, 30% aos 80 anos e mais de 60% após os 90 anos.

 

Cada doente sofre da doença de uma forma única, mas existem pontos comuns sendo o sintoma primário mais comum a perda de memória. Esta é muitas vezes confundida com os problemas de envelhecimento ou de stresse. Inicialmente o doente começa a perder a sua memória mais recente, podendo lembrar-se com precisão de acontecimentos de anos atrás e ter dificuldade em lembrar-se que fez, por exemplo, uma refeição.

 

Com o avançar da doença surgem sintomas como confusão mental, irritabilidade, agressividade, alterações de humor, falhas na linguagem e perda de memória a longo prazo. Este tipo de sintomas causa grande impacto no quotidiano do idoso e afeta as capacidades de aprendizagem, atenção, orientação, compreensão e linguagem. A pessoa vai ficando, deste modo, cada vez mais dependente da ajuda dos outros, mesmo em tarefas básicas do dia-a-dia como a higiene pessoal e alimentação.

 

Apesar de ser uma doença incurável existe tratamento que visa minimizar os sintomas, proteger o sistema nervoso e retardar o máximo possível a evolução da doença. Existem já no mercado medicamentos eficazes neste sentido.

 

Escrito por: Enfermeira Cátia