Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

26 de Julho - Aniversário da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

 

No dia 26 de Julho, a mesa administrativa, amigos e responsáveis das ofertas sociais da Santa Casa de Misericórdia de Torres Vedras, liderada pelo seu Provedor Vasco Fernandes, comemoram os 493 anos da sua existência. 

 

Os 493 anos de vida da Irmandade ficam marcados pelo empenho e dedicação de todos os colaboradores que já serviram a Instituição, e pelos que ainda servem.

 

A criação desta Santa Casa, que teve lugar nos anexos da Capela de Nossa Senhora do Ameal, ficou a dever-se a D. Manuel I, que a proclamou por carta de 26 de Julho de 1520, após a fusão de várias confrarias existentes à época, como a Confraria das Ovelhas e Outras.

 

A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras presta atualmente serviços na área social, no sector da infância e idosos, com as ofertas sociais de creche, pré-escolar, lar, centro de dia, centro de convívio e apoio domiciliário, alem das residências com serviços (Sarge) e com clinica (fisioterapia, ginásio, piscina e hidroginástica).


A doença de Alzheimer

 

A doença de Alzheimer, é uma doença neuro-degenerativa incurável, que provoca o declínio das funções intelectuais, reduz as capacidades de trabalho e relações sociais, interferindo no comportamento e personalidade. É a principal causa de demência e atinge 1% dos idosos com idades entre os 65 e 70 anos, mas a sua prevalência aumenta exponencialmente com o aumentar dos anos, verificando-se 6% de idosos com alzheimer aos 70 anos, 30% aos 80 anos e mais de 60% após os 90 anos.

 

Cada doente sofre da doença de uma forma única, mas existem pontos comuns sendo o sintoma primário mais comum a perda de memória. Esta é muitas vezes confundida com os problemas de envelhecimento ou de stresse. Inicialmente o doente começa a perder a sua memória mais recente, podendo lembrar-se com precisão de acontecimentos de anos atrás e ter dificuldade em lembrar-se que fez, por exemplo, uma refeição.

 

Com o avançar da doença surgem sintomas como confusão mental, irritabilidade, agressividade, alterações de humor, falhas na linguagem e perda de memória a longo prazo. Este tipo de sintomas causa grande impacto no quotidiano do idoso e afeta as capacidades de aprendizagem, atenção, orientação, compreensão e linguagem. A pessoa vai ficando, deste modo, cada vez mais dependente da ajuda dos outros, mesmo em tarefas básicas do dia-a-dia como a higiene pessoal e alimentação.

 

Apesar de ser uma doença incurável existe tratamento que visa minimizar os sintomas, proteger o sistema nervoso e retardar o máximo possível a evolução da doença. Existem já no mercado medicamentos eficazes neste sentido.

 

Escrito por: Enfermeira Cátia