Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

Roubo e vandalismo em edifício da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

Na madrugada de 23 para 24 deste mês foi assaltado e vandalizado no Sarge um edifício que pertence à Santa Casa da Misericórida de Torres Vedras e que estava a ser recuperado há cerca de dois anos.  O alvo dos criminosos parece ter sido os metais não preciosos, tendo levado todo o cobre, torneiras e cabos que existiam no edifício, acabando por destruir quadros elétricos e todo o material agregado.


Vasco Fernandes, provedor da Santa Casa, refere em comunicado que foi com grande consternação que os elementos da instituição descobriram na manhã do dia 24 “a perda de meses de trabalho e de valores que tanto custaram a angariar”.


Um prejuízo ainda por contabilizar, mas que atinge todos os que recorrem à instituição solicitando apoio e uma ajuda alimentar. “Lamentamos, possivelmente deixa a sopa mais pobre, porque alguém sem dinheiro para a ‘sopa’ esventrou um edifício, levando atrás de si não só o cobre, mas também uma parte do todo que é a Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras”, refere em comunicado o provedor.


Aquele responsável lamenta a invasão da propriedade, a perda de bens próprios e o facto de haver quem viva não só do roubo, mas do negócio desse mesmo ato. “Sabemos que este tipo de furto não é por fome, mas sim por vícios como a droga. E quem fomenta este ato dando-lhe cobertura na compra do material é pobre de moral, mas rico economicamente. Se estes barões do negócio sujo não existissem, instituições como a nossa não sofriam o prejuízo que hoje temos de contabilizar”.
 

Escrito por Eunice Francisco

Jornal Badaladas, publicado em 30-05-2013

SER FELIZ - Porque SIM

PORQUE Sim !

(pelo Dr.Luciano/psiquiatra)

SER FELIZ

  1. 1.    Que a FELICIDADE não se compra nas farmácias, já nós sabíamos, obrigadinho!

Mas, o que é certo, é que todos nós andamos desesperados à sua procura e é nessa busca que encontramos força para a nossa caminhada.

A propósito, para o Mahatma Gandhi

 

 não existe um caminho para a FELICIDADE. A FELICIDADE é o caminho

 

e o nosso Fernando Pessoa apressa-se a recomendar

 

“Não se acostume com o que não o faz feliz…

Alague seu coração de esperanças

Mas não deixe que se afogue nelas

Se estiver tudo errado, comece novamente

Se estiver tudo certo, continue

Se perder um amor, não se perca

Se o achar, segure-o”

 

 António Aleixo ajuda com um sábio conselho

 

“…para teres dias felizes

Não digas tudo o que pensas

Mas pensa tudo o que dizes”

 

Para Carlos Drumond de Andrade, poeta brasileiro, a FELICIDADE pode “acontecer”

 

“Ser feliz sem motivo é a mais autentica forma de FELICIDADE”

 

Já para o nosso Fernando Pessoa implica “esforço”

 

“a FELICIDADE exige valentia !

não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo e posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões…é atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da Vida. Ser Feliz é não ter mêdo dos próprios sentimentos…é ter coragem para ouvir um não.

Pedras no caminho ? Guardo todas ! Um dia vou construir um castelo !”

 

  1. 2.    Termos momentos de felicidade é a prova de que temos a capacidade de ser felizes .

 

“Quantas vezes procuramos a felicidade

E tal como o avozinho infeliz

Em vão por toda a parte procura os óculos

Tendo-os na ponta do nariz”

 

Para mim, FELICIDADE tem a ver com paz de espírito, mas não se esgota nela.

Mas que ninguém me peça conselhos. Aí Freud é peremptório

 

“A FELICIDADE é um assunto individual. Aqui nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar por  si”

 

  1. 3.    A FELICIDADE tem a ver com emoções positivas como a alegria, o riso, o optimismo e o belo. Sente-se quando mora em nós, mas é difícil de  definir, por ser um pouco misteriosa e  contraditória. Até se chora quando se está feliz, do mesmo modo que a tristeza até pode ser bela. Atente-se no nosso poeta António Nobre que no seu livro “SÓ” avisa

 

“ cautela, não lhe faça mal

Que este é o livro mais triste

Que existe em Portugal”

 

e no entanto, embora triste é um belo livro de poesia.

 

  1. 4.    O escritor russo Leão Tolstoi lembra-nos que

 

“FELICIDADE verdadeira é a alegria de fazer o bem”

 

e o poeta popular algarvio António Aleixo deixa-nos estes versos

“quando te vês mal e dizes

que preferias a morte

pensa que outros menos felizes

invejam a tua sorte”

 

  1. 5.    Falámos de FELICIDADE, de recordações, lágrimas e risos, enfim emoções, o que nos traz à memória o cantor brasileiro Roberto Carlos

 

Se chorei ou se senti

O importante é que emoções eu vivi

 

que constituiem os condimentos da VIDA.

 

  1. 6.    O poeta brasileiro Carlos Drumond Andrade aborda a questão da FELICIDADE NA VELHICE com uma transbordante ternura quando diz

 

“há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a FELICIDADE está numa caixa de bombons”

 

e quando o nosso poeta Vasco de Lima Couto escreve

 

“preciso de espaço para ser feliz”

 

remete-nos para a questão onde estamos e com quem partilhamos a FELICIDADE possível

Um Lar é, no fim de contas uma grande família, uma sua estrutura comunitária, um espaço em que interagimos com os outros, em que partilhamos sentimentos e emoções.

Recentemente os Lares passaram a ser denominados ESTRUTURAS RESIDENCIAIS PARA PESSOAS IDOSAS.

Se a passagem de Asilo a Lar correspondeu a uma grande modificação na filosofia e prática assistencial destas instituições, confiemos na bondade do legislador no sentido de que a mudança de nome seja mais do que isso e venha a possibilitar uma melhoria do seu funcionamento.

 As Instituições são organismos vivos e também têm direito à FELICIDADE.

…e, como dizia o Raul Solnado, “FAÇAM FAVOR DE SEREM  FELIZES !!”

Torres Vedras, 15 de Abril de 2013

Luciano



FEIRA DA FAMÍLIA 2013

 

Como bem sido hábito a Resposta Social de Apoio à Infância da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras anualmente no mês de Maio, desenvolve um Projeto em parceria com as Famílias. Consideramos de grande importância o envolvimento e a proximidade das famílias à escola.

Este ano estamos a realizar a “Feira da Família” que iniciou na segunda-feira, dia 13 e terminará na próxima sexta-feira dia 17 entre as 16h30 e as 19h!

 

Esta feira é composta por várias bancas organizadas pelas famílias. Temos a presença das seguintes bancas:

 

 

- “Doces Corações” (biscoitos artesanais e compostas caseiras deliciosas)

- “Carla Heliodoro” (bolsas, pulseiras e bordados personalizados através de desenhos infantis)

 

 

- “Os feltrinhos da Diana” (artigos de criança confeccionados em feltro)

- “A banca da Avó Zeca” (bonecos feitos em croché por mãos sábias!)

 

 

- “Susy Prilim Pim Pim” (bolsas, ganchos, cadernos, diários… tudo feito à mão com toques de encanto de Prilim Pim Pim!)

- “As fofuras da mamã Poli” (bonequinhos em biscuit aplicados em fitas para chuchas e porta chaves, fitas para identificações…)

- “Santa Fashion” (banca com roupa e calçado doados pelas famílias)

 

 

- “Mimos coloridos” (Fraldas bordadas, pregadeiras, babetes, roupa reciclada com um estilo muito patusco!)

- “Artes e delícias” (salgadinhos, pulseiras, sabonetes…)

- “As delícias da Inês” (patés, bolos à fatia…)

- “Piolhas e Pestes com Açúcar” (biscoitos decorados e encomendas de comida para fora)

 

 

- “Mis bolsitos” (malas e brincos feitos em crochét)

- “Banca da Ti Rita” (pão caseiro, pizzas e bolinhos cozidos a forno a lenha)

- “Menina dos bolos” (cupecakes com a decoração e sabor que escolher)

- “Barraca da Zeta” (Licores, pão com chouriço, bola de carne, quiches e bolos de ferradura)

 

 

A par da feira, as crianças tem jogado alguns jogos tradicionais dinamizados pela estagiária Rute Miranda (Animação Sócio-cultural - ESCO) e na sexta-feira estendermos o convite aos pais e famílias para no final da semana, virem ao encerramento da nossa feira, participando nos jogos tradicionais com os filhos e até com outros pais! Venham conhecer esta feira especial e divirtam-se em família!!!

 

Não se esqueçam…. Só até sexta-feira na Creche e JI da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras… visitem-nos!

 

Pág. 1/2