Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

Fisioterapia na terceira idade


Qual a importância da Fisioterapia na terceira idade?


Ao longo do processo de envelhecimento, as capacidades de adaptação do ser humano vão diminuindo, tornando-o cada vez mais sensível ao meio que o rodeia.


Com o declínio progressivo das suas capacidades, principalmente a nível físico e também devido ao impacto do envelhecimento, o idoso vai alterando os seus hábitos e rotinas diárias, substituindo-as por outras ocupações e atividades menos exigentes. Esta diminuição de atividades conduz a consequências muito sérias, tais como a redução da capacidade de concentração, coordenação e reação motora em diferentes situações. Tudo isto, potencia o surgimento de processos de auto desvalorização, diminuição da sua autoestima, apatia, desmotivação, solidão, isolamento social e mesmo depressão.


A Fisioterapia tem aqui um papel muito importante.


É verdade que o tratamento de Fisioterapia pode ser necessário em qualquer fase da vida, mas, no idoso a sua importância é tão relevante no tratamento como na prevenção; visando preservar, manter, restaurar ou desenvolver funções nas áreas motoras, sensoriais, cognitivas, psíquicas ou sociais, proporcionando assim melhoria da sua qualidade de vida. As práticas preventivas ocupam, em qualquer especialidade, um lugar de destaque, sobretudo naqueles idosos cuja condição patológica geral tenha diminuído de forma significante suas possibilidades de mobilização e independência.


Com a prevenção, a Fisioterapia ajuda os idosos a superar as constantes ameaças ao seu equilíbrio, ajuda a melhorar as suas capacidades funcionais como também ajuda-os a ganhar consciencia das suas limitações, sugerindo algumas alterações em seus lares e  nas Instituições, conferindo-lhes maior segurança, para que não sofram as quedas.


As grandes áreas de intervenção da Fisioterapia no idoso recaem fundamentalmente sobre:

  • Tratamento do paciente com imobilização prolongada;

  • Tratamento dos quadros inflamatórios;

  • Tratamento de sequelas de acidente vascular encefálico;

  • Tratamento preventivo nos quadros demenciais;

  • Tratamento dos quadros osteodegenerativos.

Em tudo isto torna-se imprescindível a participação e envolvimento dos familiares no tratamento do idoso.


Fisioterapeuta Florêncio

A doença  pulmonar  obstrutiva crónica

 

A doença  pulmonar  obstrutiva  crônica  ( DPOC)  é  o  termo  usado  para  um doenças  pulmonares  caracterizado  pela  obstrução  crônica  das  vias  aéreas  no  interior  dos pulmões.  Dentro  deste  grupo,  duas  doenças  se  destacam,  a  bronquite  crónica  e  o  enfisema pulmonar, seja esta dentro  dos  pulmões,  nomeadamente  durante  a  expiração.

 

O  ar  consegue  entrar,  mas  apresenta dificuldade  em  sair,  ficando  preso  no  interior  dos  pulmões,  fazendo  com  que  o  paciente  não consiga.

 

A  DPOC  é  uma  doença  progressiva  que  se  desenvolve  normalmente  após  exposição crônica  a  partículas  ou  gases  nocivos,  como  o  fumo  do  tabaco,  por  exemplo.

 

No  entanto, existem  outras  causas  que  incluem  doenças  genéticas  como  deficiência  de  alfa-1-antitripsina, exposição ou de fogo.

 

Cerca de 20%  dos fumadores  desenvolvem  DPOC.  A  maioria dos pacientes  que desenvolvem  a  doença apresentam  antecedentes de pelo menos 1 maço  de cigarros por dia durante 20  anos.

 

A DPOC não tem cura, ainda que haja tratamento para retardar a sua progressão, a única atitude realmente eficaz é a prevenção, ou seja, não fumar, ou no caso de exposição.

 

Na grande parte dos casos a doença manifesta-se após os 40 anos de idade. O primeiro sintoma  percetível  costuma  ser  a  tosse  matinal  com  expetoração.  O  cansaço  e  a  falta  de  ar são  também  sintomas  desta  doença.  


O  paciente  vai  progressivamente  ficando  cada  vez  mais limitado nas suas atividades diárias.  Como a DPOC afeta pessoas mais velhas os sintomas são normalmente atribuídos ao  envelhecimento e ao  cigarro, não despertando  muita atenção inicialmente.  No  nosso  universo  de  residentes,  3  têm  esta  patologia,  dois homens e uma mulher.

 

Enfermeira Cátia


Plano de Desenvolvimento Individual: Equipa Técnica Pluridisciplinar

 

 

Lar de Nossa Senhora da Misericórdia inaugurado em Dezembro de 2002, integra sessenta pessoas que necessitam de cuidados na realização das suas necessidades diárias.

 

É uma resposta social da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras que tem como principio o respeito e a promoção da dignidade de cada residente, considerado na sua individualidade como Sujeito de direitos vivendo uma fase da vida muito relevante no percurso da sua realização como pessoa.

 

Os residentes contam com uma equipa técnica multidisciplinar (médico, psiquiatra, enfermeiros, assistente social, animadora, dietista, fisioterapeuta, psicóloga clínica estagiária), que em conjunto, intervêm na estimulação das dimensões física, psíquica,inteletual, espiritual, emocional, cultural e social da vida dos idosos.

 

Esta intervenção conjunta depende da qualidade de uma cultura de pensamento e ação, ao nível organizacional e pessoal, traduzida na concepção e concretização de boas práticas.

 

Boas práticas continuamente assumidas, refletidas e avaliadas, em ambiente de verdade, tendo o idoso como centro da intervenção e principal decisor do seu Plano de Desenvolvimento Individual.

 

Assistente Social Magda Alemão

Aula de Movimento

No dia 04 de Março de 2013 os utentes da Associação de Solidariedade Montejunto realizaram em conjunto com os utentes do Lar de Nossa Senhora da Misericórdia uma Aula de Movimento dinamizada pela Animadora Sociocultural, seguindo-se uma visita guiada ás instalações do Lar e um lanche convívio que proporcionou a todos uma tarde diferente e animada.