Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

Santa Casa abre refeitório no novo centro de dia


A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras dispõe de Cantina Social desde julho do ano passado e prepara-se para abrir brevemente um espaço de refeitório para os utentes que já usufruem do serviço.

 
A instituição confeciona e serve diariamente um máximo de 80 refeições a um valor simbólico de 50 cêntimos. Ao abrigo do protocolo com a Segurança Social (SS), a Santa Casa serve uma refeição completa, que inclui sopa e segundo prato e ainda uma peça de fruta e pão oferecidos pela Misericórdia.
 
A admissão dos utentes é feita pelos técnicos sociais da instituição. O serviço funciona igualmente em regime de take away (leve para casa), sendo que as pessoas podem levar a alimentação e consumir em casa, salvaguardando a sua privacidade.
 
No entanto, segundo o provedor, Vasco Fernandes, “há muita gente que não tem onde ir tomar a refeição”, daí que a instituição tenha pensado em aproveitar a cave do novo centro de dia, que resulta da reestruturação das antigas instalações da Santa Casa junto à estação dos Correios, para criar um pequeno refeitório para os utentes. “Assim escusam de ir para o banco de jardim”, refere o provedor, que diz ainda que “o valor pago pela SS, dois euros e meio, não chega para pagar a refeição”.
 
A Santa Casa espera ter o centro de dia pronto a funcionar até ao fim de fevereiro e abrir em simultâneo uma loja social, por forma a doar aos mais necessitados peças de vestuário, calçado e outros artigos em bom estado que são frequentemente oferecidos à Misericórdia.


Fonte: Jornal Badaladas

Escrito por Eunice Francisco

O indesmentível peso do terceiro sector

 

Agora já se sabe do que se está a falar quando se usam as designações Economia Social ou Terceiro Sector. Fala-se de mais de 55 mil organizações, espalhadas por mais de uma dezena de actividades económicas. Fala-se de 2,8% de Valor Acrescentado Bruto, mais do que a Electricidade, Agricultura, Agro-indústria, Telecomunicações ou Indústria Têxtil. Fala-se de 5,5% de peso no emprego remunerado na Economia Nacional, 226 mil pessoas, mais do que a Saúde, Indústria Têxtil, Transportes e Actividades Financeiras e Seguros, entre muitas outras.


O retrato foi tirado pela Conta Satélite da Economia Social, do INE, em parceria com a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social. É um retrato preliminar, referente a 2010, mas onde s! e pode ver, pela primeira vez, o peso que o Terceiro Sector tem na economia portuguesa.


Em relação ao emprego mais de um terço concentra-se nos serviços de acção social e solidariedade. Os salários médios mais elevados são pagos pelas mutualidades, sendo as misericórdias as que pior pagam. De uma maneira geral, os trabalhadores da Economia Social são pior remunerados do que a média nacional. Em 2010 o valor médio representava 83,4%.


Clic para ver o Estudo:



Fonte: Solidariedade

Mensário da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade

DIA DA FRATERNIDADE UNIVERSAL E O DIA DA PAZ

 

Também conhecido como o Dia da Confraternização Universal ou o Dia da Paz Universal é comemorado, na verdade, em quase todo o mundo no primeiro de janeiro.


Nesse dia, as pessoas trocam votos de alegria, de paz e de felicidade para o ano que se inicia. Tradicionalmente há uma vigília na noite de 31 de dezembro, quando se comemora com muita festa a passagem do ano.

 

Em 8 de dezembro de 1967, o papa Paulo VI escreveu uma mensagem propondo a criação do Dia Mundial da Paz, a ser festejado no dia 1º de janeiro de cada ano. Mas o papa não queria que a comemoração se restringisse apenas aos católicos – para ele, a verdadeira celebração da paz só estaria completa se envolvesse todos os homens, não importando a religião.

 

“A proposta de dedicar à paz o primeiro dia do novo ano não tem a pretensão de ser qualificada como exclusivamente nossa, religiosa ou católica. Antes, seria para desejar que ela encontrasse a adesão de todos os verdadeiros amigos da paz”, dizia, em sua mensagem. No texto, expressava seu desejo de que esta iniciativa ganhasse adesão ao redor do mundo com “caráter sincero e forte de uma humanidade consciente e liberta dos seus tristes e fatais conflitos bélicos, que quer dar à história do mundo um devir mais feliz, ordenado e civil”.

 

Portanto, O Dia da Paz Mundial é um dia a ser celebrado pelos "verdadeiros amigos da Paz", independente de credo, etnia, posição social ou econômica. Ainda que desde 1981 o Dia Internacional da Paz seja comemorado em 21 de setembro, a data de 1º de janeiro é reconhecida pela ONU como o Dia da Confraternização Universal, ou seja, do diálogo e da paz entre os povos. O primeiro dia de cada ano, portanto, tem sido reservado à reflexão de como queremos que o mundo seja nos próximos 364 (ou 365) dias que ainda estão por vir. Também é o dia em que são trocados votos de paz, felicidade e saúde para o ano que se inicia.

 

Fonte: Wikipedia