Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

Governo assina mais de 100 contratos para duplicar cantinas sociais

 

O Ministério da Solidariedade e Segurança Social vai assinar, esta semana, mais de 100 contratos com instituições sociais de várias zonas do país que irão permitir "mais do que duplicar" o número de cantinas sociais.

  

"Esta semana irão ser assinados mais de 100 contratos com instituições sociais para a criação de cantinas sociais", disse o ministro Pedro Mota Soares à margem da reunião da Comissão Nacional de Acompanhamento e Avaliação dos Protocolos e Acordos de Cooperação que analisa o acordo assinado em janeiro entre o Governo e as Instituições Particulares de Solidariedade Social, a União das Misericórdias Portuguesas e a União das Mutualidades Portuguesas.

 

Mota Soares adiantou que "é muito importante que esta resposta seja de âmbito nacional", abrangendo estes contratos distritos como Setúbal, Braga e outros do interior do país.

 

Lembrou que "Portugal tinha recursos de cerca de dois milhões de euros para as cantinas sociais, que vão passar a ser de cerca de 50 milhões de euros" com o objetivo de passar dos atuais 62 equipamentos para mais de 900.

 

O ministro explicou que esta medida, que faz parte do Programa de Emergência Social, não implica custos: "Não vamos gastar um cêntimo a construir mais equipamentos, vamos sim alocar muitos recursos" para garantir uma resposta a "quem tem dificuldades do ponto de vista alimentar".

 

Nesse sentido, vão ser utilizados as cozinhas, os equipamentos e as instalações das instituições para poder servir refeições a "muito mais pessoas", disse, explicando que, para o efeito, o Governo disponibilizou uma linha de crédito de 50 milhões de euros, que fazem parte dos 630 milhões de euros alocados ao PES.

 

Fonte : Jornal de Notícias