Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

Faça um donativo para o NIF: 501109528 - Destine 0,5% do IRS à Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

 

A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, classificada como Instituição Particular de Solidariedade Social, encontra-se habilitada a receber os donativos provenientes da consignação de 0,5% do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS), relativa ao ano de 2011.


Deste modo, faça a doação de 0,5% do seu IRS à Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, aproveitando a possibilidade que a lei concede a qualquer cidadão. Trata-se de um contributo, sem quaisquer custos para as pessoas que consignarem 0,5% do IRS.


Não paga mais IRS nem vai reaver menos.


Para o efeito, é apenas necessário preencher o quadro 9 do Anexo H, campo 901, e indicar os dados da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras.


Apoie esta ideia. Divulgue-a junto de  amigos e familiares. A contribuição que efectuar através da declaração de rendimentos é um acto de responsabilidade social que não tem nenhum custo associado.

 

O que tem de saber:
- O Contribuinte não paga mais IRS nem vai reaver menos dinheiro 

- A doação incide na parte do imposto que já foi liquidada pelo Estado 
- Basta preencher o quadro 9 do Anexo H, campo 901 e inscrever o NIF 501109528

Participação no 19º Corta Mato da APECI

No passado dia 24 de Abril de 2012, alguns utentes do Lar de Nossa Senhora da Misericórdia participaram no 19º Corta Mato da APECI, que teve lugar no Parque Verde da Várzea. 


A nossa equipa composta por 12 elementos conseguiu vários terceiros, segundos e primeiros lugares. Foi uma manhã animada e valeu pela experiência numa actividade que foi totalmente nova para os nossos utentes.

 








Provedores preocupados com sustentabilidade

 

As dificuldades são mais que muitas e a sustentabilidade tem sido a principal preocupação nos dias que correm. Este é o cenário vivido atualmente pelas Misericórdias, que estiveram reunidas em assembleia-geral, no Centro João Paulo II, em Fátima, no dia 21 de Abril.

 

Naquele dia foi aprovado, por unanimidade e aclamação, um voto de louvor ao presidente do Secretariado Nacional da UMP, Manuel de Lemos, por causa do trabalho realizado junto dos Ministérios da Saúde e da Solidariedade e Segurança Social.

 

O relatório de atividades e as contas de 2011 foram também aprovados durante aquela reunião magna das Santas Casas.

 

Fonte: UMP

 

Governo assina mais de 100 contratos para duplicar cantinas sociais

 

O Ministério da Solidariedade e Segurança Social vai assinar, esta semana, mais de 100 contratos com instituições sociais de várias zonas do país que irão permitir "mais do que duplicar" o número de cantinas sociais.

  

"Esta semana irão ser assinados mais de 100 contratos com instituições sociais para a criação de cantinas sociais", disse o ministro Pedro Mota Soares à margem da reunião da Comissão Nacional de Acompanhamento e Avaliação dos Protocolos e Acordos de Cooperação que analisa o acordo assinado em janeiro entre o Governo e as Instituições Particulares de Solidariedade Social, a União das Misericórdias Portuguesas e a União das Mutualidades Portuguesas.

 

Mota Soares adiantou que "é muito importante que esta resposta seja de âmbito nacional", abrangendo estes contratos distritos como Setúbal, Braga e outros do interior do país.

 

Lembrou que "Portugal tinha recursos de cerca de dois milhões de euros para as cantinas sociais, que vão passar a ser de cerca de 50 milhões de euros" com o objetivo de passar dos atuais 62 equipamentos para mais de 900.

 

O ministro explicou que esta medida, que faz parte do Programa de Emergência Social, não implica custos: "Não vamos gastar um cêntimo a construir mais equipamentos, vamos sim alocar muitos recursos" para garantir uma resposta a "quem tem dificuldades do ponto de vista alimentar".

 

Nesse sentido, vão ser utilizados as cozinhas, os equipamentos e as instalações das instituições para poder servir refeições a "muito mais pessoas", disse, explicando que, para o efeito, o Governo disponibilizou uma linha de crédito de 50 milhões de euros, que fazem parte dos 630 milhões de euros alocados ao PES.

 

Fonte : Jornal de Notícias

Pág. 1/2