Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

O Blog da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

As últimas notícias sobre o Lar de Nossa Senhora da Misericórdia, Clínica Domus Misericordiae, ERPI, Creche, Jardim de Infância, CATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário

Lar da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras: Lanche no Pinhal dos Casalinhos de Alfaiata

O lanche no pinhal dos Casalinhos de Alfaiata realizou-se nas tardes dos dias 18 e 19 de Agosto de 2011. Tratou-se de mais um momento de convivio, de descontração e de boa disposição, onde participaram alguns utentes da valência de lar. Ao lanche foi possivel saborear o pão com chouriço que é feito na zona. 
 











Pinturas de António Bártolo, no Lar da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

 

Notas sobre António Bártolo:

 

Nasceu em Angola, em 1962. 

Em Portugal, conheceu primeiro Trás-os-Montes, uma terra com a qual se identifica.

Depois, veio para a Região Oeste e, hoje, vive em Torres Vedras.

Em 1998, realizou a sua primeira exposição individual.

Aguarelista notável, propicia estados de enlevo, sublimados por emoções belíssimas, ligadas a uma estética, aparentemente, simples, na qual sobressaem esplêndidos jogos de luz, que nos encantam para sempre.

Artífice da fineza, aliada ao esplendor dos sentidos, transgride a realidade, quando a revê e reconstrói com o seu olhar e a sua alma de poeta das cores e das memórias.

Discurso proferido pelo Provedor da Misericórdia, Sr. Vasco Fernandes, por ocasião da visita do Sr. Presidente da República, à Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras

 

Excelência

 

A Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras e restantes Órgãos Sociais, agradecem a presença de V. Exa e restante comitiva nesta comemoração do quadragésimo nonagésimo primeiro aniversário e acto solene de inauguração do Complexo Domus Misericórdiae que integra residências assistidas para seniores e clínica de tratamento e manutenção.

 

A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, foi fundada em 26 de Julho de 1520, por Decreto Real datado de Évora por El-Rei D. Manuel I.

O Decreto Real que fundou esta Misericórdia, confere-lhe direito à utilização e posse da Ermida de Nossa Senhora do Ameal, onde em dependências anexas existiu o primeiro hospital desta Santa Casa.

 

Nos princípios do século XVIII inicia a sua mudança para dentro da vila, instalando-se a sul do castelo, com a construção da Igreja da Misericórdia, e nas suas dependências instala, primeiro com uma enfermaria de senhoras em 1767, tendo sido autorizado a instalação de uma Botica (farmácia) em 1795, o que só se concretizou em 1814 em 1796 compra uma casa nobre a sul que transformou em mais três enfermarias, tendo assim continuado até 18 de Julho de 1943 data da inauguração do novo hospital, denominado Hospital da Santa Casa da Misericórdia de torres Vedras.

 

Na sua inauguração esteve presente Sua Excelência o Presidente da República General Óscar Carmona, 68 anos depois esta Santa Casa tem a honra de ter a visita de Vossa Excelência.

 

Desde a sua fundação, até 1975 não houve qualquer interrupção, sempre dedicada ao sector da saúde.

As Santas Casas nunca foram instituições abastadas, tentando equilibrar as rendas provenientes de doações, foros concedidos e esmolas, sempre se pautaram pelo cumprimento das catorze obras de Misericórdia e pela sua dádiva em servir o próximo, o que tinham era para acudir a quem precisava.

 

Em 1975 com a nacionalização dos hospitais, as Misericórdias ficaram sem nada, sem fins por prosseguir, viram-se perdidas numa sociedade em mudança.

 

A Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras só em 1981 com a entrega de um edifício destinado a creche e jardim-de-infância pela Segurança Social, com capacidade para 105 crianças, tomou novo rumo dedicando-se desde então à acção social, seguindo-se em 1988 a inauguração de um outro edifício construído de raiz para o efeito com a abertura de novas valências na área dos idosos, Centro de Dia, Centro de Convívio e apoio domiciliário, nesse mesmo edifício instalamos a sede da instituição.

 

Tem sido uma constante desta Misericórdia a procura de melhor servir a população, assim em 1998 iniciamos a construção de um Lar que ficaria concluído em 2002.

 

Em 2005 efectuamos uma remodelação nas instalações da creche e jardim-de-infância, um espaço que só administramos, o edifício não nos pertence, é seu proprietário a Segurança Social, teve um custo de 18.000 contos, o equivalente a 96.000,00 euros, a Misericórdia com a obra de remodelação e equipamentos na zona interior e exterior gastou cerca de 400.000,00 euros, sem qualquer comparticipação.

 

Em 2007 em terreno cedido pelo Município construímos um equipamento destinado a ATL, com capacidade para 110 crianças, o qual veio a encerrar um ano depois devido a alteração emanada pelo Ministério da Educação em que é alargado o horário do 1º ciclo, cabendo às Câmaras a ocupação desses tempos, o que veio extinguir a necessidade daquela valência, tendo a Instituição que efectuar nova remodelação, novos gastos para que o edifício fossem adaptado a crianças em idade pré-escolar, sem qualquer comparticipação.

 

2009 é o ano do inicio de construção do Complexo Domus Misericórdiae, equipamento que engloba 24 apartamentos, cozinha, sala de refeições e sala de convívio, comporta 44 residentes, que poderão usufruir de clínica de fisioterapia instalada neste mesmo edifício, cujo custo ascende a 3.000.000,00 euros, sem qualquer apoio financeiro e que esperamos ter amortizado no prazo de 10 anos.

 

Esperamos que o retorno deste investimento seja uma mais valia para a Misericórdia e que permita colmatar o défice de cerca 80.000,00 euros anuais da valência de lar.

 

Senhor Presidente os voluntários que compõe os órgãos sociais desta Misericórdia não baixam os braços perante a adversidade, muito pelo contrário é nessa hora que somos chamados a dar o nosso melhor, estes dois últimos anos têm sido dolorosos para muitas famílias, que acorrem a nós no desespero de quem nada tem. Tivemos que criar um gabinete de acção social com uma técnica e uma auxiliar só para dar resposta a estes casos. Ninguém que venha bater à porta da Santa Casa procurando uma refeição ou agasalho sai sem uma solução de alimentação confeccionada ou géneros, com fome é que não ficará.

 

Actualmente a Misericórdia de Torres Vedras apoia nas suas valências:

 

230 Crianças dos 4 meses aos 6 anos

60 Utentes residentes em Lar

15 Utentes em centro de dia alargado das 8 h às 20h30

50 Utentes em centro de dia das 9h30 às 18 h

15 Utentes em centro de convívio

30 Utentes em apoio domiciliário

25 Utentes em apoio domiciliário alargado 7 dias por semana

300 Pessoas apoiadas pelo programa do Banco alimentar contra a fome em parceria com esta Instituição.

 

Somos uma família composta de 105 funcionários e 12 voluntários ao serviço dos nossos utentes e desta causa que é ser-se misericórdia.

 

Senhor Presidente temos a força e o espírito de continuar a lutar por mais, queremos dar o nosso contributo a três novas obras de acção social cujos projectos já se encontram aprovados, apenas esperamos apoios financeiros que nos permitam iniciar, são elas:

 

Uma unidade de cuidados continuados, para 30 camas de longa duração e 30 camas de media-curta duração, um investimento previsto de 3.500.000,00 euros, com uma comparticipação de 750.000,00 do programa Modelar, necessita de apoios de mecenas para esta grande causa, pelo menos até 50% do seu custo.

 

Um novo lar de idosos com 70 camas, com um investimento calculado em 2.000.000,00 euros, já efectuamos candidaturas ao programa pares, mas não fomos contemplados, aguardamos uma oportunidade.

 

Um lar para crianças em risco, dos 0 aos 12 anos, obra iniciada à 17 anos por outra Instituição, sem capacidade financeira para conclusão de obra, a qual nos será transmitida por escritura pública a efectuar a curto prazo.

 

Estamos empenhados a ajudar na área social a população torreense, temos a vontade e a disponibilidade, falta-nos a ajuda económica, que esperamos venha caminhando até nos na boa vontade de quem pode e no espírito de solidariedade e entre ajuda tão característica do povo português.

 

Senhor Presidente

 

Faço um apelo final a Vossa Excelência, em nome desta Misericórdia e de todas as Misericórdias do país, que junto do Governo, nomeadamente do Primeiro Ministro, solicite que criem meios de apoio para os mais necessitados, devolvam os reembolsos de iva ás Instituições, são mais valias preciosas para quem mata a fome a muito desempregado neste país.

 

Que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, departamento de governo e detentora de uma parte dos lucros dos jogos, faça uma divisão equitativa pelas misericórdias do país, o país inteiro joga e necessita de apoios.

 

Excelência

 

Em nome dos corpos sociais desta Santa Casa, dos nossos dedicados funcionários que são o rosto diário da instituição, o nosso muito obrigado por este visita, por este dia que não esqueceremos, ficará gravado nos anais desta nobre instituição e nos corações de todos nós, rogamos a Nossa Senhora da Misericórdia que o guarde e proteja Vossa Excelência e toda a sua família. Muito obrigado